segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Vários: GO, ultra, mudança... É grande!

Boa dia!!!
Hoje queria contar sobre as minhas idas ao hospital nesse final de semana. Nada demais.
Primeiro na sexta fui fazer a consulta com a plantonista do dia já que, como já disse, minha GO está dando um rolé na terra de Mickey Mouse. Para minha sorte, quem estava no plantão era a médica que a minha GO havia indicado, Dra. Eleonora.
Dra. Eleonora (assim como a outra nmédica que peguei no plantão lá, não vamos desmerecê-la) é um amor. E muito jeitosa. Quando ela fez o toque e disse "é... nada de dilatação" quase que levantei a cabeça da maca para ver se ela estava mesmo me examinando ou só fingindo. Não senti nada! Nadica de nada! Estou falando isso aqui (confesso que até meio com vergonha) porque toda vez que fiz esse exame, senti um super desconforto, doeu! Mas dessa vez foi excelente.
Bom, o fato mesmo que queria contar é que com 39 semanas e 1 dia de gestação não tive dilatação nehuma. Nem um dedinho. Isso sim me chateou.
Me chateou mais ainda porque ela ainda completou com "e a bebê não encaixou, está lá em cima". Ai meus sais!
Levantei da maca para me vestir e ela me perguntando se eu queria mesmo o parto normal, qual a probablidade de eu querer a cesárea. Eu, claro, respondi que queria muito o normal e ela... Bom, ela me disse para ir aceitando psicologicamente a idéia do PC pois a essa altura, sem dilatação, com a bebê láááááááá em cima, seria difícil o PN.
Pediu uma US que confirmou que Antônia não só está lá em cima como está grande, bochechuda e tranquila demais. Ela estava de barriga para cima, rostinho para cima, nada encaixada, como quem bóia tranquila numa piscina. A menina não mostra sinal nenhum de que quer sair.
Queria só poder explicar aqui alguns motivos de querer o PN. Claro que desejo que meu bebê nasça no tempo dela, quero tudo mais tranquilo, recuperação rápida e... Bom, tenho que confessar que MORRO de medo de cirurgia. Sim! Sou cagona!!!
"Que isso... com essas tattoos, esses piercings e tals, com medo de cirurgia?! Qualé!"
Olha, tenho sim duas mini tattoos, quase não se vêm. Tenho três piercings e digo que isso nem se compara ao corte de 7 camadas de pele mais meu útero aberto. Tenho medo! Tenho medo da recuperação. Não gosto de dor (há quem goste) e acho que não aguentaria ter que ficar sossegada, sem poder fazer muito, vendo minha casa (que já é bagunçada pela mudança) se baguçar ainda mais porque não aguento de dor e não posso ficar lavando chão e passando pano por aí. Não, não tenho TOC, mas sei que depois de uma semana estarei chorando de raiva.
Bom, tenho mais essa semana para pedir a Antônia que, encarecidamente, faça o favor de encaixar na bacia da mamãe, e pedir a Deus que tenha misericórdia de mim e ajude meu útero a dilatar, senão, de que adiantou esse quadrilzão de parideira que a genética me deu?
Quanto a ultra, minha bebê tirou nota 8 em 8. Sim, é pequena para as estatísticas, mas nem tanto assim. Ela está bem grandinha, com quase 3 kilos e agora eu estou me lixando para os percentis da vida. E tem um bochechão que não deixa dúvidas que ela pode ser pequena mas está longe de não ser saudável no quesito peso.
Ontem tive que retornar ao hospital que fui quando tive umas cólicas estranhas no início da gestãção, lembram? O hospital que odiei, ontem foi uma salvação. E fui muito, mas muito bem atendida. Tive uma crise de enxaqueca e como não podemos tomar qualquer remédio, fui para lá por ser mais perto da casa nova. Estava vazio, mas os dois plantonistas haviam acabado de entrar para a sala de parto para uma cesárea. Mesmo assim, lá da sala de cirurgia, a médica pediu que as enfermeiras medissem minha pressão e me colocassem deitada de lado. Quando ela chegou, veio rapidinho me olhar, escutou o coração de minha bebê e me prescreveu dipirona na veia. Ufa!!! Alívio quase imediato. Não passou a dor por completo mas melhorou em 80% e então eu podia até abrir os olhos sem ter vontade de arrancá-los fora. Quem tem enxaqueca sabe do que estou falando.
Eu continuo aqui no meio das caixas de mudança e relaxei quanto a essa bagunça. O móvel da cozinha chegou e coloquei o que mais uso nele. O resto resolvi que será mantido em caixas que serão acomodadas debaixo da pia e usados de acordo com a necessidade que não é muita.
Presentes de casamentos sem uso (como conjuntos para comer pizza - oi? - mini xícaras de café que só enfeitam prateleiras de vó) serão agora vendidos. Eu disse que os daria e até ia mesmo. Mas aconteceu um probleminha, coisa de gafe, sabe como?
Demos a um primo do Ricardo uma das 3 cafeteiras que ganhamos. Não dissemos a ele (apesar de eu ter dito para Ricardo contar) que uma das cafeteiras havia sido dada pela minha cunhada. Minha cunhada esteve na casa do rapaz e viu a cafeteira lá, que reconheceu como sendo a que ela deu, e apesar de tentarmos explicar que sabíamos que ela havia dado uma cafeteira, mas não sabíamos qual e que ganhamos 3 e achávamos que estávamos usando a dela e que precisamos de espaço e etc ela preferiu não entender e se magoar.
Olha, desculpa aí, todo mundo é importante, sei de cada presente dado e me emocionei mais pelo cartão e pela consideração. Hoje não posso me dar ao luxo de manter tudo em caixas espalhadas pela casa. Antes tinha onde guardar e jurava que um dia usaria. Hoje, tenho que zelar pela organização e limpeza da casa.
E tem mais. O pessoal do meu marido me acha 'a rica'. Ninguém via que eu tinha dois empregos quando nos casamos e que trabalhava das 7 da manhã as 9 da noite. Para eles eu estou desfazendo e esbanjando. Só eu sei a dificuldade que passamos hoje, dependendo de outras pessoas para pagar nosso aluguel, a prestação do carro e sabe-se lá mais o que. Um pouco de compreensão seria legal. E vamos lá: tudo por causa de uma cafeteira que dei a alguém que realmente precisa, que não tem nem cama, talher ou pratos em casa (que também demos). Dá um tempo, vai?!
Para fechar esse post imenso (se você chegou até aqui, parabéns!) estou gostando do novo cantinho. Aqui é do tamanho que eu queria. E o local é até silencioso. Tirando o DejaVu. Não suporto mais!!!
Os vizinhos aqui não são barulhentos, na rua não passa ônibus, não tem obra por perto. Mas quando resolvem ouvir música, tenho que ouvir também porque a mpusica tem que tocar no máximo. Tenho que escutar uma mulher desesperada a gritar para o 'homem' dela não desligar o telefone setecentos e cinquenta e três mil vezes no meio de acordes de um teclado eletrônico. Quando penso que não, lá vem a Joelma gritar no meu ouvido. E quando tudo acaba, o vizinho do lado resolve colocar um rap de protesto, daqueles de uma nota só, e eu tenho que acompanhar a saga de João, que foi trabalhar e foi confundindo com o traficante, morrendo baleado. Aí, minha amiga, ninguém merece!
No mais, é isso! Ufa!!! Desabafei tudo que estava aqui preso em meu peito de leite!
Beijos e boa semana!

PS: Nada contra o Deja Vu, seus fãs e etc. Nada contra a Joelma. Nada contra o funk, o rap e os demais. Mas que tal ouvirmos a música sem ensurdecermos os vizinhos?

8 comentários:

Jordana disse...

Oi Lu, vou torcer muito para que tudo se encaminhe para o parto normal!
Deus é grande e as coisas nessa altura podem mudar do dia para a noite, o certo é que a naturexa encaminhará o que for melhor para vocês duas!!
Que bom que a mudança deu certo, e é uma função mesmo, e principalmente estando grávida. É ridículo, mas tem gente que ainda não entende que viver em sociedade é respeitar também o espaço dos outros, sem cabimento uma música alta que todo mundo precisa escutar junto. Não sei se existe alguma forma suave de falar isso, mas daqui a pouco tempo terás bebê pequeno em casa, será que não deverias pedir pra que tenham mais consideração??
Beijos, senti saudades!

Leila, Grávida e feliz! disse...

Amiga,

Quanta informação hein? o post está longo mas está uma delícia de ler.
Olhe, já soube de mulheres que os bebês não estavam encaixados e de um dia para o outro encaixou e nasceu normal. Sei também d eoutra que o bebê está encaixado há dias e até agora nada (eu), rs.
Quanto aos presentes de casamento, não se estresse com essas coisas, o importante é que suas intensões foram as melhores, se algu[ém não entedeu, paciência.
Olha, som alto na vizinhança é um problema clássico e que acontece nos quatro cantos do Brasil, é realmente horrível, aff.
Boa sorte nesse final de gestação, relaxe e desacelere.
Antônia virá na hora certa. E eu estou aqui, ansiosa por você, por mim...

beijos

Ké! disse...

Lu, tava sentindo sua falta no nosso blog, já!
É, dá um desânimo quando a gente espera lá um dedinho de dilatação, e anda, né? Também fiquei assim ontem. Mas... quem sabe esses pequenos não nos surpreendem? O Lucas pra nascer essa semana e a Antônia pra dar sinal de PN? Vc vai esperar até quando?
Que ótimo que vc tá se sentindo bem aí, ajuda muito, né?

Beijos pra vcs duas!

Núbia disse...

Colega...que luta..hein...DEJAVU de um lado e depois FUNK...Jesus corta a luz desse povo....kkkk
Mantenha calma que tudo se resolverá...converse com sua bb e peça Deus ( tb a N.S. do Bom Parto)que ilumine estes médicos e a hora do seu parto.
Adoro ler seu blog.
Um grande abraço
Núbia RJ
nubiarj_56@hotmail.com

Núbia disse...

Ah esqueci de falar...É sempre bom desabafar...nao guarde nada. Fale mesmo. Senao depois isso te fará mal.
Núbia RJ

Futura Mamãe disse...

Parabéns pelo seu blog, está lindo!

Isso que voce relatou é verdade, vizinhos são bons, mas as vezes abusam... e não tem quem aguente! (e não precisa nem estar grávida pra ficar assim, qualquer um fica, é desumano!!)

Bjo

Juh** disse...

Ufa... post delicioso de ler!! Grande e explicativo, quando termina parece que eu passei a semana na sua casa conversando com vc rs...
To torcendo pra Antônia encaixar, e vc ter o seu PN!!
E quanto ao som, nem me fala, tenho uns vizinhos sem noção tbm!
Bjocas

Futura Mamãe disse...

Obrigada pela dica do berço, vou me informar direitinho sobre essas feiras de gestantes, obrigada mesmo!
Bjão