terça-feira, 9 de junho de 2009

Susto!!!

Esse sábado tomei um susto. Um sustão.

Sexta a noite comecei a sentir dores na barriga e no sábado, pioraram geometricamente. Não conseguia andar.

E, claro, logo pensei em ir ao médico. O medo que bateu em mim de perder meu bebê era incrível. Peguei meu terço na noite de sexta e rezei como nunca. E sábado, no hospital, rezava também em meu coração para que não fosse nada, para estar tudo bem.

Vou contar toda a confusão que foi ir ao hospital com a enteada e o marido que havia trabalhado toda a noite.

Sempre ouvi dizer que homem é assim e assado e etecetera e tal, mas sábado tive a prova.

Estamos nós sentados na sala de espera, eu, dobradinha, preocupada e, claro, como toda mulher, prestando atenção no movimento. Marido com enteada no colo, brincando e bocejando.

A minha frente está sentada uma moça com uma barriga tão redondinha, linda a barriga dela, com o rosto de dor de preocupação. Ela respira retimadamente. Estava em trabalho de parto, claro.

O marido, ao lado dela, assiste a tv até o momento em que resolve fazer uma ligação.

"Oi, Zé, beleza? Olha, to aqui no hospital que a bolsa da 'esposa' estourou e... ah, haha, valeu, brigadão mesmo, mas aqui, olha, to preocupado que o uniforme de futebol dos meninos tá comigo e to pensando aqui como eles vão jogar e..."

A esposa o interrompe com um toque no braço:

"As minhas contrações já estão de 3 em 3 minutos..." e faz mais cara de dor.

Ele balança a cabeça e continua:

"Pois é... como a gente faz para encontrar e eu te passar esses uniformes?"

E a conversa dura mais um tempinho.
Ele desliga e olha para a esposa. Um olhar carinhoso seguido de um beijo na testa e o seguinte comentário:

"Você já é a próxima a ser atendida, viu?! Aí, assim que você entrar (interrompo: oi? assim que você entrar? sozinha??? tá, vamos ver aonde isso vai!) assim que você entrar, enquanto você consulta, eu vou entregar os uniformes dos meninos viu??" Ela balança a cabeça, e assim que olha para o lado, ela chora. Eu olho para ela e ela para mim e a gente se entendeu: "Foda! Vamos pedir a Deus paciência, que se Ele nos der força... a gente espanca!"

Bom, ela é chamada. Entra e sai. Vai para algum lugar. Não sei onde.
Mais tarde encontro com ela saindo do elevador. Muito bem acompanhada. Da mãe dela.

Eu, entro, o médico não me ouviu, não ouviu a parte em que eu disse que estava grávida de umas 8 semanas, e me manda fazer um exame de urina e um de sangue Hcg. Disse que já fiz, ele ignora e manda fazer outro. Ótimo! Vamos fazer outro exame de sangue.

Volto em 2 horas e me sento novamente na salinha de espera. Marido dorme!

Saio para levar a enteada no banheiro e ao retornar aguardo mais 45 minutos para descobrir que, sim, a médica que entrou no plantão me chamou e como eu não estava, ela voltou para a salinha, pegou a bolsinha dela, passou na sala de espera novamente, me viu lá, falou com outra paciente, e .... hum, bem, ela foi "ali conversar com as meninas". Sério. Palavras dela.

E meu marido... dormindo.

E chega outra paciente. Cara de dor, mãe de um lado e marido junto. O marido deixa a ficha dela com a enfermeira na recepção e senta ao lado dela, já olhando para a tv que mostrava o jogo do Brasil. A mulher, grávida, olha para ele com olhar fuzilante e solta: " Oi? Você falou que era urgência? Perguntou se podem me atender com urgência???" E ele: "Hã? Já entreguei a ficha lá!" O olhar dela disse tudo. Ele se levantou e foi. (O caso dela era sério mesmo!)

Volta o médico louco. Me chama. Me diz que, novidade, estou grávida. É. Estou grávida!!!Acrescenta que, não, eu não contei a ele que estava grávida. E, ao contrário do que a menina que fez meu exame (nesse tempo todo, fiz amizade com a menina do exame) disse, eu teria uma infecção urinária. E meu xixi estava limpinho no exame. Sei, porque eu perguntei a outro médico também, lógico.

Ah: meu marido acordou. Ouviu o médico dizendo que eu tinha infecção e pronto. Para ele tá bom. Entrou no carro e dormiu de novo (ele havia trabalhado de madrugada, vamos dar o desconto.)

Fomos embora para... bom, preciso dizer que fomos a casa da minha mãe? Não, ela não estava lá, mas chegou logo para me ver. E disse que teve muita dor na gravidez de meu irmão mais novo porque carregava meu outro irmão muito. E esse devia ser o caso. Mas, de qualquer forma, me disse para ir para outro hospital e disse que ia comigo. Mãe é mãe. Eu vou saber disse. Aliás, já sei!

Agora, a dor passou. Não consegui ser atendida em outro hospital e não tinha ultrassom em hospital nenhum no final de semana. Mas agora, vou aguardar. Conversei com uma ginecologista, minha aluna, e ela não disse nada. Claro que disse que "nada de esforços, nada de estresse, nada de cansar..." Mas se achasse mais sério, tinha me dado um pedido de ultra.

O fato é que não pego peso, não faço esforço e a casa pode estar imunda... não tem esforço para limpar. Inclusive, não me estresso mais. Com nada. Mesmo. Não me tente. Não me estresso mais.

Não quero mais susto.

Ah: grande o post, né?
Beijos

4 comentários:

Noivinha Fatinha disse...

haha Graças a Deus nao foi nada grava com vc entao...
Aff.. Homens ne?

ninguem merece!!!

bjao

Maga disse...

Que bom que já está tudo bem!

Homem é homem em todos os lugares, afff!

Daniela Nogueira disse...

Que bom que está bem ^^

Seu blog é muito legal!!

Te indiquei pra ganhar dois selinhos, depois passa lá no meu blog e vê.

bjs!!

Bia e Cris disse...

Homens... !

Li seu post atrasada, ia dizer que é normal essas dores e que vc já sabe o que fazer.
Mas, pelo visto, vc está bem, já está até de 3 meses...
A gente leva mt susto no inicio mesmo. Mas, parabéns, daqui a pouco vc sai do tão temido terceiro trimestre!
Beijinhos